segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Desabafo em rimas (3)


Aos ouvidos Dele
Sopros de desespero
Viajam a velocidade da luz
Quase nunca há agradecimentos
Não se para nenhum momento
De chegar, reclamações e pedidos de vida sem sentido

Ele jamais deixa de ouvir nenhum pedido
A fé de multidões o mantém vivo
Sua imagem prevalece no coração de cada cristão
Faz tudo o que pode
Quase nunca se move
Mais nunca deixa de existir
Nunca deixa de agir
Buscando fazer o bem para seus semelhantes

Ah e como ele fez sacrifícios 
Não se importou com os edifícios
A única coisa que ele se importa
É em corações de alguns não entrar
As vezes não consegue ensinar
O que há de bom no amor
E talvez não existiria dor
Se todos aprendessem a ama-lo

Um comentário:

Obrigada por comentar
volta mais uma vez voolta?